Coma Frango

Tudo sobre o mundo do frango.

É sustentável

Práticas sustentáveis para a produção do frango

A importância do tratamento de efluentes no abate de frangos

Cerca de 1 milhão de litros de água são tratadas e devolvidas para a natureza todos os dias na Frangos Pioneiro

Uma indústria de abate e processamento de frangos gera toneladas de resíduos diariamente. Estes resíduos, compostos por penas, vísceras, ossos, óleos, graxas, sangue entre outros, se não tratados corretamente, podem contaminar o meio ambiente. Por isso, é fundamental uma estação de tratamento dos efluentes. “A estação tem a função de limpar a água contaminada, devolvendo-a ao meio ambiente sem comprometer os recursos hídricos. Geralmente, a natureza possui a capacidade de decompor uma pequena quantidade de matéria orgânica presente nas águas. No caso de efluentes industriais, é uma grande quantidade e exige um tratamento mais eficaz”, explica Francisco Carlos da Silva, coordenador de Gestão Ambiental do Grupo Pioneiro.

Desde 2010, a empresa possui uma Estação de Tratamento de Efluentes, que segue as resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), gerando cerca de 1 milhão e 600 mil litros de água tratada por dia, devolvidas para o Ribeirão Fortunato. Para garantir a efetividade do tratamento, periodicamente são realizados testes para verificar a qualidade da água. “A água tratada na Pioneiro tem índices bem melhores que os exigidos pelas leis”, assegura Francisco Silva. Segundo os resultados de análises realizadas em 2012, o índice de DQO (Demanda Química de Oxigênio) da água tratada é de 52 mg/litro – o limite máximo permitido pela legislação paranaense é de 125 mg/litro. No caso do índice de DBO (Demanda Biológica de Oxigênio) é de 11 mg/litro – o limite pela lei é de 50 mg/litro.

Quando reaproveitada, esta quantidade de água tratada gera uma economia de até 45% no consumo de uma indústria. “Estamos investindo em equipamentos para reutilizar ainda mais água de nossa Estação de Efluentes”, revela o coordenador de Gestão Ambiental.

ETE2

Entenda o processo de tratamento de efluentes 

Toda a água residual da indústria é direcionada para a Estação de Tratamento de Efluentes. Primeiro, o líquido passa pelas peneiras estáticas (uma para o setor de depenagem e outra para o de evisceração), lugar em que a água começa a ser separada dos resíduos. Os resíduos destas peneiras são reutilizados em insumos para ração. Depois desta fase, a água vai para a peneira estática de resíduos que separa detritos (que ainda persistam), usados para adubo orgânico. A próxima etapa é o tanque de equalização, que mistura o que ainda sobrou de efluentes, como sangue, óleo e gordura, que serão eliminados no flotador de ar dissolvido e tridecanter, retornando para o tanque de equalização. Nesta fase, é adicionado cal hidratado para equilibrar o PH da água, que segue para o tanque de aeração, com eliminação de impurezas pela adição de bactérias anaeróbicas. Caso tenha sobrado algum resíduo sólido, ele é eliminado no tanque de ponte removedora, antes de ser devolvido para o Ribeirão Fortunato. Caso os resíduos sejam muito densos, a água é redirecionada para o tanque adensador que fará retornar para o tanque de aeração, no qual o processo será repetido.

Fonte: Da redação

Categoria(s): , . | Tag(s): , , , .


Notícias relacionadas